lutas_doc-cartaz

O país que, no passado, já enforcou pessoas, escravizou negros e instaurou à força violento regime militar hoje continua a cometer ou a permitir que se cometam inúmeros atos de violência com seus cidadãos. Seja com violência física, psicológica ou simbólica, é como se a população, antes vítima de formas escancaradas de violência promovidas pelo próprio Estado, Império ou colonizadores continuasse a violentar os seus. Agora, com algumas sutis mudanças, como nos assassinatos de policiais que matam indivíduos que já se renderam (e que nunca cometeram nenhum crime) ou dos linchamentos por parte de “justiceiros”, em praça pública.

É olhando para o passado do Brasil que os roteiristas e diretores, Luiz Bolognesi e Daniel Augusto, constroem a trama da série televisiva “Lutas.doc”, com produção da Buriti Filmes e Gullane, e co-produção da EBC – Empresa Brasil de Comunicação. Apesar de ter sido lançado em 2010, o material é bastante atual. Para assistir à playlist com todos os cinco episódios da série, aperte o play 😉


DICA EDUCOMUNICATIVA
A série é excelente para trabalhar com jovens sobre “cultura de paz e não violência”, “segurança pública”, “desmilitarização da polícia” e “enfrentamento às violências”. Uma atividade legal pode ser o incentivo a uma leitura crítica da mídia, questionando se as informações levantadas na série aparentam ser verdadeiras ou se há algum tipo de espetacularização da realidade. Para isso, além de colher as impressões dos(as) jovens, pra perceber o que pensam sobre a questão, também dá pra incentivá-los a checar alguns dos dados. O grupo pode elencar algumas informações que julgarem relevantes durante a exibição da série e ir atrás de fontes oficiais (documentos públicos, relatórios e resultados de pesquisas) pra compreender melhor esse fenômeno. Uma boa possibilidade é dar uma lida nos “Mapas da Violência” de 2013 (Mortes matadas por armas de fogo), 2014 (Extermínio da juventude negra no Brasil) e 2015 (Homicídio de Mulheres).

Anúncios