É disso que eu tô falando

Depois de “Criança, a alma do negócio” (sobre publicidade infantil), “Muito além do peso” (sobre obesidade e alimentação infantil), “A Ponte” (sobre a ONG Casa do Zezinho), “Lixo Extraordinário” (que acompanha o trabalho artístico de Vik Muniz com trabalhadores do aterro sanitário de Jardim Gramacho), “O renascimento do parto” (que questiona práticas obstétricas contemporâneas), “Ilegal” (sobre o uso da maconha para fins medicinais), “Quando sinto que já sei” (sobre modelos alternativos à educação tradicional), entre outros, eis que surge uma nova jóia do cinema documentário brasileiro: “É disso que eu tô falando”, que contribui para tratar a complexidade das questões que envolvem a redução da maioridade penal no Brasil.

A obra foi lançada no dia 21 de janeiro, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre (RS). A atividade integrou programação do Fórum Social Temático 2016: FSM 15 Anos Porto Alegre. Pra assistir ao documentário, é só dar o play logo abaixo.


QUEM FAZ
“É disso que eu tô falando” é uma realização do Observatório da Sociedade Civil e da Abong – Associação Brasileira de ONGS, com produção da Bueno Filmes, dirigido por Edgar Bueno e apoio do Instituto C&A.

Edgar Bueno - por Julio Mello
O diretor de “É disso que eu tô falando”, durante gravações do curta “Elisangela”, em 2012. | Foto: Julio Mello.


DICA EDUCOMUNICATIVA 1
Para grupos que fazem poucas discussões políticas e sociais

Reúna a turma para discutir o que cada um pensa sobre redução da maioridade. Na sequência, produza dois cartazes: um para listar o nome de quem se posiciona contra e de quem se posiciona a favor da maioridade penal. Por último, realize a exibição do documentário (que dura quase 30 minutos), converse novamente com a gurizada pra saber se alguém mudou de opinião e reconstrua o cartaz inicial, pra ver quem trocou de ideia sobre o assunto.


DICA EDUCOMUNICATIVA 2
Para grupos unânimes contra a redução da maioridade penal

Exiba o documentário e, em seguida, realize um brainstorm (tempesdade/ de ideias) pra colher sugestões de como sensibilizar mais pessoas sobre os pontos negativos que a aprovação da redução da maioridade penal pode trazer para a sociedade. Juntos, o grupo pode escolher a melhor e mais viável de todas as ideias levantadas para colocá-la em prática, que pode ser uma mobilização pelas redes sociais digitais, uma exibição do documentário para pais e professores etc.

Anúncios